Como alguém assim chega a presidência de um País

Tenho que tirar o chapéu pra estes malandros, porque eles criaram um plano de poder, pra todo o sempre, e fizeram uma lavagem cerebral nos cidadãos que impressiona, eu converso com pobres e eles defendem este malandro com todas as forças, e vejo ricos defendendo eles, porque? tem medo de perder a boquinha, ou é como os outros tem medo da, de mudanças? vai saber. se não abrirmos os olhos eles vão faturar esta, já compraram muitos, falta pouco. povo burro abre o olho, é como diz o tiririca, estes abestalhados estão com a mente lavada.

lula e dilma

CADE A TRANSPARÊNCIA

 ?????????????????????????

Mostrando o que tem que ser mostrado.

E ai POVO vocês vão fazer o que???

Nepotismo

O que é Nepotismo:

Nepotismo é um termo utilizado para designar o favorecimento de parentes ou amigos próximos em detrimento de pessoas mais qualificadas, geralmente no que diz respeito à nomeação ou elevação de cargos públicos e políticos. 

Etimologicamente, este termo se originou a partir do latim nepos, que significa literalmente “neto” ou “descendente”.

Originalmente, a palavra era usada exclusivamente no âmbito das relações do papa com seus parentes.

Por esse motivo, o dicionário Houaiss identifica um nepote como “sobrinho do sumo pontífice” ou “conselheiro papal”.

Atualmente, este termo é utilizado como sinônimo da concessão de privilégios ou cargos a parentes no funcionalismo público.

Nepotismo é diferente de favoritismo, pois o favoritismo não implica em relações familiares com o favorecido.

Nepotismo ocorre quando um funcionário é promovido por ter relações de parentesco ou vínculos com aquele que o promove, mesmo que hajam pessoas mais qualificadas e mais merecedoras para o cargo.

Outro exemplo de nepotismo é quando alguém é acusado de fazer fama às custas de algum parente já famoso, geralmente se for o pai, a mãe, ou algum tio ou avô.

Por exemplo: um governador que escolha para a sua equipe vários familiares, certamente está praticando nepotismo. Existem vários casos claros no Brasil.

É importante mencionar que o nepotismo não constitui um ato criminoso. No entanto, quando o nepotismo é praticado de forma intencional, o servidor público ficará sujeito a uma ação civil pública por cometer improbidade administrativa (sendo que essa sim é um crime) pela prática de nepotismo.

Sendo confirmada essa ação, o servidor público poderá ter que ressarcir integralmente o dano público causado e poderá também perder o seu cargo e os direitos políticos durante um prazo de três a cinco anos.

O nepotismo é uma afronta à profissionalização da gestão, porque alguém que tem poder político dificilmente avaliará com imparcialidade o trabalho de uma pessoa que pertence à sua família.

Nepotismo cruzado

 Existe também o chamado nepotismo cruzado, que é a troca de parentes entre agentes públicos para que tais sejam contratados diretamente, sem a necessidade de serem aprovados em concurso público.

Nepotismo cruzado também pode ser o ajuste mediante designações recíprocas. Por exemplo, quando um gestor público promove ou contrata o parente de um outro gestor público cúmplice, sendo que este deverá, como agradecimento, contratar ou promover um parente próximo do gestor que o ajudou.

O nepotismo cruzado é mais difícil de ser detectado, mas ainda é enquadrado como um grande empecilho para a construção de uma administração pública saudável.

Lei do nepotismo

 O artigo 37 da Constituição Federal, refere que as contratações de funcionários para cargos públicos devem cumprir os princípios da legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência.

Este artigo revela então que o nepotismo é uma prática anti-constitucional. No entanto, alguns municípios podem criar determinadas leis para prevenir o ato de nepotismo.

O Supremo Tribunal Federal possui também a 13ª Súmula Vinculante, aprovada em 21 de agosto de 2008, onde o nepotismo é proibido nos Três Poderes, a nível da União, dos estados e municípios. Esta súmula também prevê e proíbe o nepotismo cruzado.

No dia 4 de Junho de 2010 o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva editou o decreto federal nº 7.203, que revela o impedimento do nepotismo no âmbito da administração pública federal.

 MOSTRANDO O QUE TEM QUE SER MOSTRADO.

Repatriação – Monica Moura

Quem é Monica Moura?

Ate uns oito dias atrás pra mim não era ninguém.

Hoje eu sei que Monica Moura é mulher de João Santana, e João Santana é como eles dizem um marqueteiro, um empresário que fez as propagandas da campanha do partido dos trabalhadores.

O que é OffShore?

Offshore (paraíso fiscal)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Chamam-se popularmente de offshores as contas bancárias e empresas abertas em paraísos fiscais, geralmente com o intuito de pagar-se menos impostos do que no país de origem dos seus proprietários. Como a grande maioria dos países que permitem a criação desse tipo de empresa anônima — ou a abertura desse tipo de contas bancárias anônimas — fica em ilhas, (tais como as BermudaJerseyIlhas Cayman, etc.), por extensão de sentido, esse tipo de empresa anônima ou de conta bancária anônima passou a ser chamado de offshore, embora alguns países continentais, como o Grão-Ducado do Luxemburgo [1] ou o Principado de Mônaco também as permitam, usando esquemas legais diferentes, porém de resultados equivalentes. O termo vem dos tempos dos corsários que saqueavam os mares e depositavam a pilhagem off-shore (fora da costa).

Empresas offshore (offshore company) são entidades situadas fora do país de domicílio de seus proprietários e, portanto, não sujeitas ao regime legal vigente naquele país .

O mesmo ocorre com as contas bancárias offshore, que são geralmente abertas em países de legislação de origem britânica, usando-se um conceito jurídico de trust Trust law, originário da common law inglesa e que foi trazido para a Inglaterra pelos cruzados. O conceito de trust refere-se a uma relação em que a propriedade (real ou pessoal, tangível ou intangível) é mantida por uma parte, em benefício de outra. Deriva do conceito islâmico de “waqf” e se refere a um contrato (trust instrument ou deed of trust), através do qual uma pessoa física ou jurídica detém a titularidade de um bem (intangível ou tangível), em benefício de outrem. Assim, nos países que adotam a common law, os trustees (isto é, aqueles que detêm o título de propriedade) são obrigados a manter e administrar a propriedade em benefício de outrem – que é o proprietário de facto. Tal expediente pode ser usado, portanto, quando se pretende proteger ou ocultar a identidade do verdadeiro dono do negócio. Nos países que adotam o Direito Romano, tal artifício é substituído pela criação de fundações, que, formalmente, são proprietárias de bens.

Nos países ditos (paraísos fiscais) ou que permitem a operação desse tipo de trusts ou fundações, os bancos têm conhecimento apenas do nome dos trustees (ou seja, dos administradores ou procuradores) das contas ou dos gestores da fundação, ignorando completamente quem seja o real beneficiário do dinheiro depositado. Assim, mesmo que haja determinação judicial, é impossível que esses bancos forneçam informações sobre quem são os proprietários do dinheiro depositado nessas contas.

Então eu fico vendo estes roubos estes valores esta fala sobre corrupção, politicos, ministros, juizes, e eu me pergunto, onde esta este mundo onde vive estas pessoas, elas existem mesmo, como guardar estes valores, em uma caixa de sapato, em uma mala grande, não sei, se precisasse carregar tal valor não saberia.

Eu vejo estes politicos na minha rua, no meu bairro, na minha vila, no municipio, na televisão, nos eventos, no comercio, eu toco neles, eles são reais, e a maioria é bom no que fala, nas mentiras, porque dos tantos que vi, nenhum deles cumpriu o ue falou, ja trabalhei pra eles, fui chamado de cabo eleitoral, liderança, mas e ai?

Ai que existe uma palavra REPATRIAÇÃO, e uma sei sobre isso, nesta lei o devedor, o camarada que de alguma forma guardou dinheiro fora do pais, para não pagar os impostos, teria de pagar multa de até 225% do valor devido, além de responder na justiça e na esfera administrativa, dependendo do caso.

Então em novembro de 2015 foi aprovado pela câmara dos deputados e pelo senado em dezembro, uma lei de REPATRIAÇÃO, era uma das medidas do governo (Dilma PT) para tentar reequilibrar as  contas públicas e financiar a reforma do imposto sobre circulação de mercadorias e serviços (ICMS).

Esta nova lei oferece incentivos para a declaração voluntaria de bens e de recursos adquiridos até 31 de dezembro de 2014 e mantidos no exterior.  Em troca da anistia de crimes relacionados à evasão de divisas, o contribuinte pagará 15% de imposto de renda e 15% de multa, sendo 30% do valor repatriado.

Eu quando li no BLOG PENSA BRASIL uma matéria falando sobre isso, minha mente viajou, tomou um rumo, que eu em vida, talvez nunca conheça, veja passe, e muitos cidadãos muitas pessoas estão na mesma condição que eu. Leigo longe da verdade longe deste mundo, e nesta viagem já veio na minha mente, QUEM FOI O DEPUTADO QUE CRIOU TAL MODIFICAÇÃO NA LEI?

PORQUE A DILMA OS SENADORES OS DEPUTADOS APROVARAM TAL MUDANÇA DA LEI?

Será que eu um morador que sai da pobreza vou REPATRIAR algum valor dos paraísos fiscais?

Não, nana nina não, não vou mesmo, porque estou rebolando trabalhando como um cavalo pra pagar a conta de água e luz.

Então este papo de partido do pt ser uma quadrilha, ter um plano de poder, faz todo sentido, porque segundo dizem eles tem dinheiro pra pagar a campanha até o ano de 2030.

E esta Monica Moura falou que: deixou de declarar suas contas no exterior pois aguardava a promulgação de eventual lei de repatriação de valores, o que retiraria o caráter ilicito da manutençao da conta na Suiça em nome da Shellbill.

Vou pesquisar os deputados e senadores envolvidos, mas minha mente minha conciencia ja esta falando que dos 513 talves 13 deputados nao esteja envolvido, e dos senadores uns 4 são honestos.

 

CADE A TRANSPARÊNCIA

???? ???? ???? ???? ???? ???? ???? ???? ???? ????

 

 E ai Deputados Vocês vão fazer o que? ? ?

 

E ai Senadores Vocês vão fazer o que? ? ?

  

Projeto SubPrefeitos Nomeados por votos

Haddad propõe eleições para subprefeito

Projeto de lei encaminhado para a Câmara Municipal nesta quarta-feira 6/01 propõe que a população eleja os 32 subprefeitos da cidade por meio de voto direto. Atualmente, os cargos são ocupados por pessoas nomeadas pelo Executivo

O prefeito Fernando Haddad encaminhou nesta quarta-feira (6) à Câmara Municipal projeto de lei que propõe alterar a forma de escolha dos subprefeitos das 32 administrações regionais da cidade de São Paulo. A proposta, que precisa ser apreciada em duas votações pelos vereadores antes de voltar para a sanção de Haddad, prevê a eleição direta dos subprefeitos, por voto facultativo.