Subprefeituras – entra e sai.

Não adianta Fugir, onde tu vai, tu vai estar.

A maneira como o prefeito Fernando Haddad vem tratando as subprefeituras é outro ponto negativo de seu governo. Criadas para dar maior agilidade à administração de uma cidade gigantesca como São Paulo, por meio da descentralização, e também permitir um contato mais próximo e frequente com a população, as 32 subprefeituras vêm sofrendo um processo de desgaste marcado ao mesmo tempo pela perda de recursos e pelo loteamento político, com seu inevitável corolário de fisiologismo. Elas perdem eficiência e relevância pelas duas razões.

Contrariando sua promessa de adotar critérios técnicos nas indicações para a direção dessas unidades administrativas, Haddad logo cedeu às pressões dos vereadores que compõem sua base de apoio. O resultado, cumprido mais da metade de seu mandato, é um entra e sai nos postos de comando das subprefeituras incompatível com a continuidade administrativa necessária para garantir um mínimo de eficiência. Reportagem do jornal Folha de S.Paulo mostra que o atual governo tem trocado, em média, um subprefeito a cada 20 dias.

Os números não mentem e são implacáveis. Já passaram pelos cargos de subprefeito 79 pessoas. Só 5 subprefeituras tiveram uma mesma pessoa em seu comando desde 2013. Pela direção de outras 16 passaram pelo menos 3 subprefeitos efetivos ou temporários. E só ingênuos não veem que o principal motivo dessa alta rotatividade é a voracidade dos vereadores governistas, para os quais as subprefeituras, mesmo com poucos recursos, são importantes para manter a influência em seus redutos eleitorais, por meio de pequenas obras e colocação para seus correligionários e cabos eleitorais.

Como não pode negar o entra e sai, o governo Haddad tenta apresentá-lo como algo normal. Ele está de acordo com a rotatividade que há em outros setores da administração pública, afirma. A vice-prefeita Nádia Campeão, que trabalha para facilitar as relações entre as subprefeituras e as Secretarias – nem sempre fáceis por causa de disputa por recursos e poder -, diz que substituições são naturais ao longo de um governo e “não acho que estamos fora desse padrão com os subprefeitos”.

São considerações vagas, que não se sustentam em dados concretos e apenas confirmam, embora de forma indireta, as mudanças frequentes nas subprefeituras, que dificultam a continuidade administrativa. Isso e a perda de recursos para a qual já chamamos a atenção aqui – da ordem de R$ 730 milhões nos últimos dois anos – enfraquecem as subprefeituras, que tendem a se tornar irrelevantes do ponto de vista administrativo. Ficam reduzidas ao papel de moeda de troca fisiológica.

Ao tratar do aspecto político da questão, Nádia Campeão mantém a mesma atitude ambígua adotada para explicar a alta rotatividade de subprefeitos. Afirma ela que se mantém o princípio da exigência de qualificação profissional para esses cargos. Mas acrescenta: “A gente nunca achou que não é legítimo ter apoio político ou indicações”. Em princípio, essas coisas não são inconciliáveis. O problema é que, na prática, a dança das cadeiras nas subprefeituras, que ocorre, ao que tudo indica, por pressões e demandas dos vereadores, é a prova acabada da predominância do fisiologismo.

Só a política miúda do clientelismo sai ganhando com o que vem acontecendo com as subprefeituras. O enfraquecimento dessas unidades representa uma grave perda de eficiência para a administração. Perde também a população, que pode fazer chegar a elas, com maior facilidade, as reivindicações ligadas diretamente ao seu dia a dia. E ironicamente isso acontece no governo de um partido, o PT, que se apresenta como defensor da “participação popular”.

Finalmente, não custa lembrar mais uma vez que o loteamento político das subprefeituras é terreno fértil para a corrupção, como mostra o exemplo do escândalo da Máfia dos Fiscais, em 1998, envolvendo as antigas Administrações Regionais.

Se não há resposta, Respondido esta.

As vezes fazemos as coisas erradas para chegar ao certo.

Anúncios

Carta Aberta de uma Médica para dilma

CADE A TRANSPARÊNCIA?

CARTA ABERTA DE UMA MÉDICA A DILMA.

Essa médica merece ser aplaudida em pé!

E ai Você vai fazer o que? ?

“Dilma, deixa eu te falar uma coisa!

Sou Fernanda Melo, médica, moradora e trabalhadora de Cabo Frio, cidade da baixada litorânea do estado do Rio de Janeiro.

Este ano completo 7 anos de formada pela Universidade Federal Fluminense e desde então, por opção de vida, trabalho no interior. Inclusive hoje, não moro mais num grande centro. Já trabalhei em cada canto…

Você não sabe o que eu já vi e vivi, não só como médica, mas como cidadã brasileira. Já tive que comprar remédio com meu dinheiro, porque a mãe da criança só tinha R$ 2,00 para comprar o pão.

Por que comprei? Porque não tinha vaga no hospital para internar e eu já tinha usado todos os espaços possíveis (inclusive do corredor!) para internar os mais graves.

Você sabe o que é puxadinho? Agora, já viu dentro de enfermaria? Pois é, eu já vi. E muitos. Sabe o que é mãe e filho dormirem na mesma maca porque simplesmente não havia espaço para sequer uma cadeira?

Já viu macas tão grudadas, mas tão grudadas, que na hora da visita médica era necessário chamar um por um para o consultório porque era impossível transitar na enfermaria?

Já trabalhei num local em que tive que autorizar que o familiar trouxesse comida ( não tinha, ora bolas!) e já trabalhei em outro que lotava na hora do lanche (diga-se refresco ralo com biscoito de péssima qualidade) que era distribuído aos que aguardavam na recepção.

Já esperei 12 horas por um simples hemograma. Já perdi o paciente antes de conseguir um mera ultrassonografia. Já vi luva descartável ser reciclada. Já deixei de conseguir vaga em UTI pra doente grave porque eu não tinha um exame complementar que justificasse o pedido.

Já fui ambuzando um prematuro de 1Kg (que óbvio, a mãe não tinha feito pré natal!) por 40 Km para vê-lo morrer na porta do hospital sem poder fazer nada. A ambulância não tinha nada…

Tem mais, calma! Já tive que escolher direta ou indiretamente quem deveria viver. E morrer…

Já ouvi muito desaforo de paciente, revoltando com tanto descaso e que na hora da raiva, desconta no médico, como eu, como meus colegas, na enfermeira, na recepcionista, no segurança, mas nunca em você.

Já ouviu alguém dizer na tua cara: meu filho vai morrer e a culpa é tua?

Não, né? E a culpa nem era minha, mas era tua, talvez. Ou do teu antecessor. Ou do antecessor dele…

Já vi gente morrer! Óbvio, médico sempre vê gente morrendo, mas de apendicite, porque não tinha centro cirúrgico no lugar, nem ambulância pra transferir, nem vaga em outro hospital?

Agonizando, de insuficiência respiratória, porque não tinha laringoscópio, não tinha tubo, não tinha respirador?

De sepse, porque não tinha antibiótico, não tinha isolamento, não tinha UTI?

A gente é preparado pra ver gente morrer, mas não nessas condições.

Ah Dilma, você não sabe mesmo o que eu já vi!

Mas deixa eu te falar uma coisa: trazer médico de Cuba, de Marte ou de qualquer outro lugar, não vai resolver nada!

E você sabe bem disso.

Só está tentado enrolar a gente com essa conversa fiada. É tanto descaso, tanta carência, tanto despreparo…

As pessoas adoecem pela fome, pela sede, pela falta de saneamento e educação e quando procuram os hospitais, despejam em nós todas as suas frustrações, medos, incertezas…

Mas às vezes eu não tenho luva e fio pra fazer uma sutura, o que dirá uma resposta para todo o seu sofrimento!

►O problema do interior não é falta de médico. É falta de estrutura, de interesse, de vergonha na cara. Na tua cara e dessa corja que te acompanha!◄

Não é só salário que a gente reivindica.

Eu não quero ganhar muito num lugar que tenha que fingir que faço medicina. E acho que a maioria dos médicos brasileiros também não.

Quer um conselho? Pare de falar besteira em rede nacional e admita: já deu pra vocês!

Eu sei que na hora do desespero, a gente apela, mas vamos combinar, você abusou!

Se você não sabe ser “presidenta”, desculpe-me, mas eu sei ser médica, mas por conta da incompetência de vocês, não estou conseguindo

exercer minha função com louvor! Não sei se isso vai chegar até você, mas já valeu pelo desabafo!”

Mostrando o que tem que ser mostrado.

 Querendo abrir a minha mente, tentando ser diferente.

Lava Jato e Impeachment

CADE A TRANSPARÊNCIA?

E ai Você vai fazer o que? ?

          O assunto hoje é lava jato, impeachment, uma coisa esta ligada a outra? Eu responderia que sim, e fico me perguntando, na lava jato tem empresários presos, lobistas presos, empreiteiros presos, marqueteiros presos, e a pergunta é PORQUE OS POLITICOS ENVOLVIDOS NA CORRUPÇÃO ESTÃO SOLTOS?  O mensalão prendeu políticos, porque a lava jato não prende?

          Ao meu ver sabendo vocês leitores que sou leigo, no assunto, política, corrupção, escrevo do que leio vejo assisto e vivo, e para e a resposta para estas perguntas seriam duas, respostas:

          Os responsáveis pela operação LAVA JATO. São muito bons estratégicos, trabalhando dentro da lei e dos acontecimentos, estão esperando a hora certa para prender os políticos, para não dar brecha para que estes filhos da putas, safados, corruptos, ladrão, pilantras recorram e fiquem livres,  ou eles os responsáveis pela operação lava jato, estão de mãos atadas por estes mesmos políticos, ou a segunda instancia, é incompetente vendida aliada destes políticos pilantras filhos do capeta; é foram três respostas para uma pergunta. Vou fazer a minha parte dentro das minhas condições para que estes pilantras do STF e políticos corruptos fiquem presos para sempre.

Mostrando o que tem que ser mostrado.

 

 

 

 

Administração Regional – Subprefeituras

CADE A TRANSPARÊNCIA?

Administração Regional.

Era assim que se chamavam as subprefeituras, o que posso dizer das (AR) administrações regionais, é que não tinham um orçamento como agora e nem o poder que tem agora, pois hoje as subprefeituras tem um orçamento e poderes como de secretárias,

Existiu um conflito político de poder quando a Prefeita época tentou criar as subprefeituras.

Ai em setembro de 2001 foi apresentado o projeto a proposta, e aprovado em julho de 2002.

Então a lei 13399/2002 criou 31 subprefeituras, e as secretarias aceitaram dividir dinheiro e espaço com as sub, os subprefeitos e os secretários passaram a ser auxiliares direto do prefeito, e os subprefeitos passou a ter mais poder decisório que os administradores regionais.

Pela lei as subprefeituras dividiram-se em sete coordenadorias de ação social e desenvolvimento, com atividades de cinco secretarias: Abastecimento, Assistência Social, Esporte e Lazer , Cultura e Trabalho.

A Coordenadoria de administração e finanças duas secretarias: Gestão publica e finanças e desenvolvimento.

O orçamento de 2015 para as subprefeituras:

Parelheiros R$ 31,4 milhões, M Boi Mirim R$ 37,6 milhões, Casa Verde Cachoeirinha R$ 25,9 milhões, Vila Maria Vila Guilherme R$ 32,5 milhões, Pinheiros R$ 39,4 milhões, Santana Tucuruvi R$ 34,3, Aricanduva Vila Formosa Carrão R$ 36,00, Capela do Socorro R$ 39,6 milhões, Perus R$ 25,9 milhões, Jaçanã Tremembé R$ 29,9 milhões, Butantã R$ 44,3 milhões, Pirituba Jaraguá R$ 36,1 milhões, Lapa R$ 36,0 milhões, Sé R$ 66,6 milhões, Penha R$ 45,9 milhões, Freguesia do Ó Brasilândia R$ 33,1 milhões, Ermelino Matarazzo R$ 27,3 milhões, Itaquera  R$ 42,4 milhões, São Miguel R$ 42,8 milhões, São Mateus R$ 54,9 milhões, Sapopemba R$ 19,5 milhões, Vila Prudente R$ 31,7 milhões, Santo Amaro R$ 36,4 milhões, Vila Mariana R$ 35,2 milhões, Mooca R$ 42,6 milhões, Campo Limpo R$ 47,9 milhões, Guaianases R$ 36,7 milhões, Cidade Tiradentes R$ 23,4 milhões, Itaim Paulista R$ 34,1 milhões, Jabaquara R$ 27,6 milhões, Cidade Ademar R$ 27,8 milhões, Ipiranga R$ 41,7 milhões.

E ai Você vai fazer o que? ?

As perguntas e as duvidas são:

Onde Foram Gasto estes recursos?

Existe a disputa política nas Subprefeituras?

Quem realmente manda nas Subprefeituras, os subprefeitos, os vereadores, os deputados o prefeito ou os secretários?

Na planilha abaixo mostra quem passou mandar.

Administrações Regionais Subprefeituras
Aliança eleitoral (2001, 2002) Aliança de governo (2003, 2004)
Territórios Indicação do AR Indicação do Subprefeito Outros Cargos
Aricanduva Não obtida Celso Jatene (PTB) Antônio Rodrigues (PL)
Butantã Sem partido  Antônio Donato (PT) Sec. Subprefeituras Carlos Zaratini (PT)
Campo Limpo PT Antônio Rodrigues (PL) Dep. Vicente Cândido (PT)
Casa Verde PT Rubens Calvo (PT) Eliseu Gabriel (PSB)
Capela do Socorro PT ArselinoTatto (PT) Estima (PPB), Milton Leite (PMDB), Goulart (PMDB)
Cidade Ademar PT Dep. Est. Italo Cardoso (PT) Não obtidas
Cidade Tiradentes Criada em 2002 Claudete (PT), Arlindo Chinaglia (PT) Paulo Frange (PTB)
Ermelino Matarazzo PCdoB Dep. Ana Martins (PCdoB) Dep. Devanir Ribeiro (PT), Alcides Amazonas (PCdoB)
Freguesia do Ó PT Viviani Ferraz (PL), Baratão (PDT) José Américo (PT)
Guaianases PT Beto Custódio (PT) José Ferreira (Zelão) (PT)
Ipiranga PT Dep. Fed. José Mentor (PT) Jooji Hato (PMDB)
Itaim Paulista PT João Antônio (PT) Não obtidas
Itaquera PCdoB Toninho Paiva (PL) Adriano Diogo (PT)
Jabaquara PCdoB Francisco Chagas (PT) Roger Lin (PSB)
Lapa PT Augusto Campos (PT) Paulo Frange (PTB)
M’Boi Mirim Criada em 2002 Lucila Pizani (PT) Milton Leite (PMDB), Dep. Vicente Cândido (PT)
Mooca PT Adriano Diogo (PT) Myriam Athiê (PMDB)
Parelheiros Criada em 2002 Edivaldo Estima (PPB) Não obtidas
Penha PT João Antônio (PT) Toninho Campanha (PDT)
Perus PT Raul Cortez (PPS) Eliseu Gabriel (PSB)
Pinheiros PT Indicação do Executivo Não obtidas
Pirituba PT José Laurindo (PT) Eliseu Gabriel (PSB)
Santana PT Carlos Apolinário (PDT) Celso Cardoso (PFL), Humberto (PMDB), Zé Olímpio (PMDB)
Santo Amaro PT Antônio Goulart (PMDB) Dep. Est. Italo Cardoso (PT)
São Mateus PT Francisco Chagas (PT) Dep. Devanir Ribeiro (PT)
S. Miguel Paulista PT Paulo Teixeira Secretario Paulo Frange (PTB), João Antônio (PT)
PT Indicação do executivo Não obtidas
Tremembé, Jaçanã PT Dep. José Mentor (PT) Carlos Apolinário (PDT)
Vila Prudente PT Flávia Pereira (PT) Francisco Chagas (PT)
Vila Maria Sem partido Wadih Mutran (PPB) Arselino Tatto (PT), Manoel Cruz (PRONA)
Vila Mariana PT José Américo (PT) Antônio Rodrigues (PL)

Como esta sua vila, como esta seu bairro, e como esta sua administração regional, melhor sua SUBPREFEITURA, seu sub o chefe de gabinete estão dando conta do recado?

Para Mudar o Mundo ou as pessoas você precisa começar por algum lugar ou alguém.

Comece por VOCÊ, PELA SUA CASA.

Mostrando o que tem que ser mostrado.

Querendo abrir a minha mente, tentando ser diferente.